O corpo é da pessoa


 Para quem não sabe, eu sempre retribuo comentários de outros blogs, sempre. Não interessa se pediram ou não, eu acho que tenho que mostrar que estou agradecida pela visita. Enfim, agora mesmo entrei em um blog que comentou aqui e fui lendo algumas postagens para comentar em alguma. Mas encontrei uma que me irritou um pouco. A blogueira estava falando da opinião dela sobre moda com alguns erros, mas não foi isso que me chamou a atenção. Foi ela criticar as roupas que algumas mulheres usam por serem "curtas demais".

 Eu sou feminista assumida, embora não concordo com muitas coisas do "feminismo" atual (que na verdade está mais para um femismo). Sei que há muito preconceitos envolta desse termo, mas em uma frase: feminismo é a luta por DIREITOS e RESPEITO EM AMBOS SEXOS. Não tem nada a ver com a elevação da mulher diante ao homem, nada disso, isso é femismo. Acredito que todos aqui conheçam aquelas feministas (ou femistas) que ficam lutando para poderem andar sem camisa na rua e tal. Na minha opinião, nem homem nem mulher poderia ficar sem camisa na rua, por uma simples questão de civilidade. Ninguém aqui vai morrer de calor por uma blusa (se não morriam com 5 mil roupas em 1800, duvido ainda mais de agora). Mas se é pra ter isso de poder tirar, que sejam os dois lados. Precisei introduzir a discussão com isso, agora vamos continuar.

 No texto, ela dizia "não entender uma criatura que usa um short enfiado vocês sabem aonde ou usar uma blusa que nem chegava a cobrir os peitos", mais ou menos isso. Agora vamos combinar uma coisa? Qual é o direito dela de falar do que a mulher quer mostrar ou não? O corpo é da pessoa e ela faz o que quiser com ele. Ninguém tem o direito sobre o seu corpo além de você. O direito dela é achar a peça de roupa feia, com uma analise superficial, dá até para pensar que ela estava se referindo a peça, mas acredito que não. A autora diz não entender as tais "criaturas" que usam as peças. Mas não entende por que as roupas são feias ou porque são "vulgares"? Tomo a segunda opção.


 É fato que as mulheres são machistas, em sua maioria. Mas às vezes devemos prestar atenção em nossas hipocrisias. Eu vejo inúmeras garotas de mais ou menos 12 anos falando da vulgaridade de algumas mulheres, mas que quando descobrem o estupro que a vítima é culpabilizada pela sociedade, se espantam. Algumas apoiam a ideia, dizem que a culpa é da vítima mesmo por usar roupas curtas. Outras começam a perceber o quanto isso está errado. É do primeiro tipo que me preocupa.

 Moro em uma cidade quente, não existe inverno, todos os dias é em torno de 30 º C. Algumas escolas permitem que as garotas usem shorts, outras não. Presenciei uma atitude horrível vindo de coordenadoras em uma escola que havia acabado de me mudar: no primeiro mês de aula, elas vieram proibir as garotas de usarem shorts, mesmo que na escola não houvesse uniforme. Até então, sempre tinha sido permitido, então por que mudaram? "Ah, meninas, a gente sabe que vocês só usam porque querem que os meninos olhem" eu quase caí da cadeira na hora. Então é isso? Eu só uso uma roupa para agradar homem? Nunca vesti nada para ninguém além de mim mesma, to nem aí para quem está olhando ou não. E se eu fosse lésbica? Ainda assim seria obrigada a me vestir só para os homens? Não sei se as coordenadoras tiveram noção do que falavam, mas ninguém jamais respeitou a regra. Eu não uso nada acima da altura do joelho, mas por uma questão de conforto. A regra não me afetava, mas afetava as minhas amigas, era uma injustiça contra metade de uma sala de 20 alunos.

 Então ano passado mudei novamente de escola e nessa já era proibido algo acima do joelho para garotas. Até ai tudo bem, mas então comecei a ver alguns garotos com shorts acima do joelho, aliás bem acima. Então os meninos tinham privilégios no colégio, mesmo que mascarados? Sim e isso é machismo. Machismo é privilegiar o homem. E há exemplos disso em situações tão "normais" quanto essas que citei.

 Sei que o assunto do blog não é esse, mas precisava me expressar um pouco sobre isso. Está me incomodando muito essa atitude de pré-adolescentes criticando suas "irmãs" por mostrarem o corpo. Recentemente, a cantora Pitty falou sobre isso quando muitas fãs dela vieram criticar a cantora Anitta.

"Começou assim: alguém me avisou que Anitta tinha postado um trecho de uma música minha numa rede social. Depois me mandaram um link dela cantando Máscara ao vivo num show. Depois outro dela cantando Na Sua Estante. E eu achei divertidíssimo que alguém de um universo tão diferente estivesse ligada no meu som e reinterpretando-o a sua maneira. Isso já faz um tempo, e tudo o que eu sabia até então é que eu a tinha visto num clipe com uma fotografia massa. “Ah, é aquela menina do clipe bonito”, pensei. E o tempo foi passando, e as reações de algumas pessoas em comentários quando me mandavam os links começaram a me deixar intrigada-barra-preocupada. Geralmente meninas, e novas, com um discurso de “credo, essa menina cantando sua música, ela fica aí mostrando o corpo, sendo vulgar” etc, etc. Coisas desse tipo. Percebi que o que incomodava não era necessariamente o estilo, ninguém falava sobre mérito musical, cantou bem ou cantou mal, mas sim MOSTROU O CORPO. E até hoje, volta e meia alguém me escreve com esse papo. Sempre fui uma pessoa discreta, não curto expôr vida pessoal e nem sou afeita a ensaios sensuais; não por pudor, mas por sentir que a máquina patriarcal que opera esses mecanismos acaba sempre nos colocando como bibelôs à disposição- mesmo quando tenta nos convencer de que isso é exercer liberdade. Quando o fiz, procurei que fosse em um veículo no qual eu sentia que realmente esse exercício de liberdade estaria em primeiro plano. Enfim.

O que me deixou aflita e o que eu queria dizer para aquelas meninas que mandaram as mensagens é: NOSSO CORPO É NOSSO. Não deixe ninguém te dizer o contrário. Desfrute dele, assuma-o com a forma e tamanho que ele tiver, vivencie seu corpo- assumindo a responsabilidade que isso traz. Esse empoderamento é importante pra todas nós. Nós podemos usar a roupa que quisermos, podemos dizer o que quisermos, podemos ficar com quem quisermos, a hora que quisermos. Somos donas do nosso destino e estamos aqui para sermos felizes e nos sentirmos bem. O resto, meus amores, é só opressão.

Pra mim isso tudo é clichê de tão óbvio, mas achei que devia dizer. Um abraço carinhoso pra todas, suas lindas. E em tempo: um beijo, Anitta!".

  Acho que deu para entender o que eu quis dizer. "Nosso corpo é nosso" não vale só para o que vestimos, mas também quando criticam uma pessoa acima do peso, como se ela tivesse a necessidade de emagrecer. Parece que nem pensam que alguém pode ser feliz com um peso que não seja 40 kg. Eu tenho uma amiga incrível que muitos a consideram "gordinha", nunca introduzi o assunto com ela, porque sempre achei que ela que sabe o que fazer com a vida dela. Ela mesma me disse "ai que saco esse povo que dá indireta falando que é pra eu emagrecer! Vão se foder! Se eu quisesse emagrecer, poderia muito bem, mas eu não quero". Isso também vale para tatuagens, piercings, etc. Você tem todo o direito de não gostar, mas direito nenhum sobre o corpo da pessoa.

7 comentários:

  1. realmente é muito hipocrisia essa pessoa falar desse jeito, ela não pensa que no futuro, se tiver uma filha e ela optar por esse estilo? quero ver se ela vai falar que (é essa criatura usar o short enfiado.. ),sabe aquela frase nunca fale hoje o que pode se arrepender amanha. Acho sim que ela está bisbilhotando muito a vida das pessoas pra criticar,onde deveria está respeitando. A pessoa faz o que quer da vida, com isso todos tens os mesmos direitos e deveres, se você é mulher e gosta de short e dai, a pessoa nasceu pra ser feliz e não pra agradar ninguém porque se fosse não era bom ter nascido. ser um robozinho,me poupe viu!
    abraços*-*
    http://gatosidy.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  2. gente que ridiculo isso , sinceramente acho que pessoas assim não tem vida social , todos devemos respeitar s gostos , por mas diferentes que sejam .

    menina1n0c3n73.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  3. Olá

    Obrigada!! Depois de taaanto tempo estou de volta rs

    A imagem do post diz tudo... As pessoas são ridículas! Já ouvi muito comentário do tipo: "Nossa, depois que aparece morta no mato, não sabe o porque." Como se isso justificasse um estupro =/

    Beijos!

    ResponderExcluir
  4. Femismo só seria real se existisse uma opressão dos homens pelas mulheres, como acontece no machismo. Femismo é só uma forma de deslegitimar a luta das mulheres pelas mulheres (que é, sim, o foco do feminismo, e não os homens). Aliás, homens vivem querendo que a gente lute pelo serviço militar obrigatório para ambos, já viu coisa mais ridícula? Levantar a bunda pra que não seja mais obrigatório pra NINGUÉM eles não querem.

    ResponderExcluir
  5. Mulheres reproduzem atitudes machistas, mas não são machistas pelo simples fato de não se beneficiarem em nada com o machismo, tirando, talvez, uma falta sensação de segurança. Por exemplo, quando uma mulher tenta justificar um estupro ela está tentando se convencer que a vítima fez algo para atrair isso para si porque, se a vítima não fez nada, então ela, que também não fez nada, também pode ser estuprada. E infelizmente essa é a realidade, já que o estupro não depende de nada (andar na rua sozinha à noite, usar roupas curtas) a não ser do estuprador querer estuprar.

    ResponderExcluir
  6. Isso de proibir roupa curta é ridículo.
    1) Achar que a gente se veste pra atrair homem. Como se sentir confortável não fosse muito mais importante que um cara qualquer olhar pra mim.
    2) Então o menino não pode ser distraído pelas roupas que a menina usa, mas tudo bem a menina ficar desconfortável por causa do calor? Pra mim parece que acham que é mais importante que o menino aprenda do que a menina.

    Desculpa não ter colocado tudo em um comentário só o_O

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Linda, de bowie. Eu super concordo com você <3
      Mas sobre a questão da roupa (me arrependi de ter esquecido disso no post também), eu estava conversando com uma amiga ontem e ela disse que tinha saído na rua de legging e uns caras começaram a chamar ela. A gente sempre cita a roupa curta, mas esquece que roupas "menos ousadas" não mudam muito a situação, acho que com short você só ganha o carimbo de "vadia" a mais. É tão nojento e parece ser tão complicado de resolver. Conversar com homem (de modo geral) sobre feminismo sempre é difícil, acham que tudo é brincadeira.
      Não moro mais em São Paulo, mas soube que agora está tendo uma discussão sobre proibir as mulheres de usarem "roupas ousadas" em transporte público. É o cúmulo isso. Não sei se ainda tem aquele negócio de vagão só para mulheres, espero que não. Digo, coisas assim só aumentam o machismo. Nós temos que mudar a mentalidade da humanidade e isso é tão difícil...

      PS: obrigada pela visita, sou sua fã <3

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...